Caminhando ao Encontro

Caminhando ao Encontro

quinta-feira, julho 05, 2007

Amor - um desafio

O convite foi lançado pelos blogs amigos Deus em Tudo e Sempre e Conhecer e seguir Jesus, falar sobre o Amor.

Dos sentimentos mais nobres do ser humano, o Amor é também um sentimento que muitas vezes é banalizado ou mesmo maltratado. De facto, enquanto cristãos, devemos ter consciência que o Amor é a base da nossa fé, o expoente máximo da mensagem, da herança que Jesus nos deixou – “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Gal 5,14).

Mas em vez de ser eu a falar em Amor, resolvi deixar aqui uma história que me tocou pela forma como apresenta o verdadeiro significado do Amor.

O regresso do soldado


"Esta história é de um soldado que regressava a casa, após a terrível guerra do Vietname.
Ligou para os seus pais, em São Francisco da Califórnia, e disse-lhes:
- Mãe, Pai, em breve regressarei a casa, mas antes quero pedir-lhes um favor:
- Claro meu filho, pede o que quiseres!...
- Eu tenho um amigo que eu gostaria de levar comigo.
- Claro meu filho, nós gostaríamos de o conhecer!
- Entretanto, há uma coisa que vocês precisam saber, ele foi terrivelmente ferido na última batalha. Pisou uma mina e perdeu um braço e uma perna. O pior é que não tem nenhum lugar para onde ir. Por isso, eu queria que ele viesse morar connosco.
- Filho, sinto muito em ouvir isso, nós talvez possamos ajudá-lo a encontrar um lugar onde possa morar e viver tranquilamente!
- Não, mãe e pai, eu quero que ele vá morar connosco!
- Filho, - disse o pai – não sabes o que nos estás a pedir!... Alguém com tanta dificuldade, seria um grande fardo para nós. Temos as nossas próprias vidas e não podemos abdicar do nosso modo de viver. Acho que deverias voltar para casa e esquecer esse rapaz. Ele encontrará maneira de viver por si mesmo!...
Naquele momento, o filho desligou o telefone. Os pais não ouviram mais nenhuma palavra dele. Alguns dias depois, receberam um telefonema da polícia de São Francisco da Califórnia. O filho deles tinha morrido depois de ter caído de um prédio. A polícia admitia ter sido um suicídio. Os pais angistiados voaram para São Frnacisco e foram levados para a morgue, a fim de identificar o corpo do filho. Reconheceram-no mas, nem queriam acreditar!... Para sua maior dor, descobriram que o seu filho tinha apenas um braço e uma perna!...
in Cruzada, Junho 2007

Quantas vezes nós olhamos para os outros, para o seu aspecto, para o seu estatuto? Quantas vezes somos como estes pais?
O verdadeiro Amor vai mais além, mais do que o aspecto exterior, mais do que um estatuto. O Amor não olha a condições, mas à pessoa, aquilo que ela é verdadeiramente. O verdadeiro Amor vence toda e qualquer barreira, é incondicional e vive no coração de cada um de nós!
E como se trata de um desafio, para não quebrar a regra, lanço-o a outros blogs amigos, para também eles falarem sobre o Amor:

6 comentários:

elsa nyny disse...

Que aprendamos todos os dias um pouquinho deste amor incondicional deste amor de Deus!

Beijitos!

Júlio da Costa Gomes disse...

Aceito o desafio mas ainda não o posso realizar. Obrigada por me desafiares a falar de tão nobre sentimento.

Maria João disse...

Às vezes precisamos mesmo de parar e ver onde não estamos a amar...

beijos em Cristo

sedente disse...

:)
abrç+

Ver para crer disse...

Às vezes não somos capazes de passar a fronteira da família de sangue.
Mas todos somos irmãos. E o meu próximo é o que precisa de mim.

Paulo Costa disse...

Eu já conhecia esta história, mas foi muito bom recordá-la. Contada no contexto do amor, tem outro impacto, e um sentido mais profundo, que nos faz reflectir sobre a forma como vivemos o amor na relação com os nossos semelhantes. O Amor ama incondicionalmente; sem limites, preconceitos...O Amor deve fluir e florescer livremente...
Abraço fraternal!